fbpx

Lockdown e as relações de trabalho

Lockdown e as relações de trabalho

Uma questão muito importante, durante a pandemia da COVID-19, no âmbito das questões trabalhistas, é como agir em sua empresa nos casos de decretação de lockdowns.

Primeiramente, importante um breve conceito do que seria o lockdown, qual seja, um período excepcional de isolamento ou restrição de acesso ou bloqueio total, justificado como uma medida de segurança pública.

E o que fazer diante dessa medida, diante de alguns casos em concreto, caso seja decretada em meu Município, Estado ou até mesmo em todo o País?

Vamos abordar algumas hipóteses e possibilidades:

Uma delas seria colocar os trabalhadores em sistema de teletrabalho. A CLT prevê o prazo de 15 (quinze) dias de adaptação ao empregado num caso de normalidade, mas estamos diante de um caso atípico, onde o interesse público de preservação da saúde tem um peso maior, então o empregado não poderia se recusar em imediatamente se submeter a tal regime.

Inclusive a comunicação ao trabalhador poderia ser feita por Whatsapp.

Banco de Horas: Poderia ser utilizado no caso de lockdown? Temos duas situações, para os empregados que já fazem o banco de horas não haveria problemas em aproveitá-lo nessa situação.

No entanto, para os empregados que não estão sujeitos a esse regime seria razoável, admitir uma flexibilização para compensar essas horas, e no caso, por analogia adotar até 06 meses para a compensação. E, para uma maior proteção da empresa provocar o Sindicato para sua formalização quanto à essa flexibilização.

A antecipação de feriado pode ser uma opção para o empregador também colocar no banco de horas.

Férias: Poderiam ser antecipadas também? Dentro do período concessivo não seria possível, mas flexibilizar o aviso de 30 (trinta) dias de antecedência ao trabalhador sim, desde que, repito, sobre as férias que já tenham seu período concessivo completado.

E com relação às férias coletivas? Havendo negociação com o Sindicato seria possível, inclusive nesse caso até mesmo sobre antecipação das férias dentro do período concessivo.

Suspensão do contrato de trabalho nesse período, é possível? Suspensão sem a contraprestação salarial? Desvinculada de programa do governo? Uma solução seria, somente através de negociação coletiva, o pagamento de salário ao trabalhador com natureza indenizatória, o que diminuiria os encargos do empregador.

E, por fim, não há restrição de dispensa, desde que não discriminatória, observando-se qualquer estabilidade existente, assim como a vaga destinada a quota, quando o empregador diante das dificuldades não consegue manter o trabalhador no seu quadro de funcionários.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Mais publicações

Negócio Imobiliário Seguro

Não são raras as situações em que alguém que esteja adquirindo um imóvel, seja urbano ou rural, procure um advogado de sua confiança para assessorá-lo

Envie sua Dúvida